Oscar Niemeyer é um ícone da arquitetura no Brasil e no mundo. Hoje falaremos de um projeto de muito destaque, O Museu de Arte Contemporânea de Niterói.

Recomendamos o site dele, que tem a trajetória de sua vida e a obra que transgrediu as fronteiras brasileiras com lindas fotos e vídeos maravilhosos. Neste caso, não falaremos de seus desafios, daremos voz às suas palavras sobre como foi criar o O Museu de Arte Contemporânea de Niterói.

“Quando comecei a desenhar este museu, já tinha uma ideia a seguir. Uma forma circular, abstrata, sobre a paisagem. E o terreno livre de outras construções para realçá-la. Não queria repetir a solução usual de um cilindro sobre o outro, mas caminhar no sentido do Museu de Caracas, criando uma linha que subisse com curvas e retas do chão à cobertura. Seria um Museu com salão de exposição cercado de paredes (retas) – não o desejava envidraçado – mas com saídas para a galeria externa que o circundaria, integrando-o no panorama magnífico. Como muitas vezes acontece, essa solução teria um apoio central sustentando apenas o salão de exposição”.

“Às vezes um projeto custa a se definir. Outras , ele surge de repente como se, antes, nele nos tivéssemos detido cuidadosamente.E isso se verificou com este projeto. O terreno era estreito, cercado pelo mar, e a solução aconteceu naturalmente, tendo como ponto de partida o apoio central inevitável. Dele, a arquitetura decorreu espontânea como uma flor. A vista para o mar era belíssima e cabia aproveitá-la. E suspendi o edifício e sob ele o panorama se estendeu mais rico ainda. Defini então o perfil do museu. Uma linha que nasce e sem interrupção cresce e se desdobra, sensual, até a cobertura. A forma do prédio, que sempre imaginei circular, se fixou e, no seu interior, me detive apaixonado. À volta do museu criei uma galeria aberta para o mar, repetindo-a no segundo pavimento, como um mezanino debruçado sobre o grande salão de exposições. E me preocupei com os interiores, desejoso de que fossem bonitos e variados, convidando os visitantes para conhecê-los melhor. No terreno, minha ideia foi acentuar a entrada do museu, desenhando a rampa externa. Um passeio ao redor da arquitetura. E senti que o museu seria bonito, tão diferente dos outros que ricos e pobres teriam prazer em visitá-lo.”

Abaixo algumas fotos do Museu de Arte Contemporânea de Niterói.

01[1]

02[1]

03[1]

04[2]

05[1]

06[1]

07[1]

08[1]

10[1]

12[1]

13[1]

fonte: macniteroi.com.br

Marília Veiga atua  há mais de 30 anos como designer de interiores. Possui um variado portfólio projetos realizados no Brasil e exterior. Acompanhe o que acontece no mundo da decoração e arquitetura no blog da Marília Veiga.