decoração parque dos principes

Decoração Parque dos Principes.

Mai um projeto de Marília Veiga esta nas páginas do UOL.

O projeto deste apartamento de 180 m2 foi feito no bairro Parque do Príncipes em São Paulo.

 

Vejas as fotos e o texto da matéria.

Antes mesmo de receber as chaves da construtora, os proprietários desse apartamento de 180 m², no bairro Parque dos Príncipes, em São Paulo, já sabiam que era preciso fazer algumas adaptações para que o imóvel combinasse com seus conceitos de conforto e bem-estar e, mais do que tudo, seu estilo de vida. Foi então que contrataram a designer de interiores Marília Brunetti de Campos Veiga, para elaborar uma maneira de aproveitar melhor o espaço, com soluções práticas e aconchegantes.

Foram seis meses de transformação –entre reforma e decoração– derrubando paredes e criando outras divisões para dar vida a uma nova distribuição de ambientes. Na parte de estrutura,  foi eliminado o quarto de empregada, onde foi possível criar uma despensa, que além de comportar os alimentos, dá suporte à cozinha, acomodando freezer e geladeira. Resultado: uma copa mais ampla e confortável.

Aproveitando ainda o mesmo espaço, Marília criou uma adega completamente integrada à sala de jantar, como parte integrante de uma estante embutida em uma das paredes. Entre a sala de jantar e a área de serviço foi eliminada uma passagem, que era um espaço dispensável, que se transformou em uma segunda despensa. Nela, foi instalado um bom armário voltado para a área de serviço.

Arte, aconchego e convivência

No novo projeto, a área social –que une home theater, sala de jantar e varanda– resultou em um living gostoso de estar, com todos os espaços integrados. Da mesa de jantar, é possível ver a televisão e, também, a varanda, que está diretamente ligada ao espaço reservado para as refeições, completando a ligação entre os três ambientes. “Tenho uma preocupação estética, de equilíbrio visual, mas a prioridade aqui foi conforto e aconchego, aquela sensação de casa gostosa, boa de viver”, define Marília Veiga.

Depois de decidir qual seria o conceito de convívio do apartamento, a segunda etapa foi partir para os detalhes da decoração, da harmonia entre os elementos. Rodapé diferenciado, padronagem dos tecidos, móveis com design expressivo e ao mesmo tempo confortáveis, tapetes com textura, cortinas integradas ao forro.

“A sensação estética de harmonia só é possível quando não há excessos, mas equilíbrio. Tudo foi pensado em um contexto, nada isolado. Nos móveis maiores, como sofá e cadeiras de jantar, assim como no piso, a predominância de uma cor neutra e clara. Nos detalhes, um toque de cor, como nos objetos menores e nas almofadas. Dessa forma o projeto fica dinâmico, com possibilidades de mudanças e o contraste fica suave e bonito”, explica a designer. “Um projeto funcional é aquele que se pode sentir, usar à vontade. Não aquele que parece feito para ver, como uma vitrine. O apelo visual é importante, mas o aconchego e o conforto são essenciais”, finaliza a mentora do projeto.

Pequenas trocas, grandes resultados
O passo seguinte à modificação de estrutura foi a escolha do acabamento, a especificação do material que seria usado, além da adequação dos pontos de elétrica e tomadas, de acordo com o novo desenho da planta. “Ter boa qualidade e sofisticação foi o objetivo principal do cliente ao escolher os acabamentos”, conta Marília Veiga.

Com essa premissa ela chegou ao resultado de piso branco de mármore pighes na sala de jantar, home theater e varanda (além do lavabo e hall de entrada),  os ambientes que representam a área social do apartamento. “Para dar a sensação de continuidade, de integração”, justifica a designer de interiores. Ícone de bom gosto, o revestimento trouxe nobreza à decoração e, ainda, favoreceu a amplitude, por ser claríssimo.

Ainda nesse ambiente, outra modificação: a varanda foi fechada com vidros e pode ser climatizada com ar condicionado. O detalhe agrega conforto, já que não interfere na luz natural que pode ser muito bem aproveitada  nos ambientes internos.

No lavabo foi trocada a bancada original por outra feita sob medida, com saia e frontão mais largos, que, além de esconder o sifão, deixa a decoração mais sofisticada, diferentemente do padrão da construtora, mais simples. A tradicional cuba de louça também foi substituída por outra mais moderna, de acrílico.

Muita luz
Ponto alto do projeto, a iluminação é embutida no teto rebaixado de gesso, que permite circuitos independentes, com diversas possibilidades: mais fraca para assistir televisão, mais forte quando o objetivo é iluminar intensamente. Para a hora do jantar, uma luz mais pontual, oferecida por um pendente sobre a mesa. Nas mesas laterais, tanto da sala quanto da suíte, abajures garantem uma iluminação mais íntima. “É possível produzir diversas sensações através da luz e isso foi seriamente considerado”, conta Marília Veiga.

Você pode acompanhar na íntegra a matéria do projeto no Uol.

A designer de interiores Marília Veiga  atua há mais de 30 anos em projetos de decoração de interiores para imóveis de alto padrão.  Siga no blog da Marília Veiga as tendencias da arquitetura e decoração.